13 de abril de 2017

MORTANDADE DE PEIXES NO RIO PIRAPETINGA REVOLTA ASSOCIAÇÃO AMBIENTAL E MORADORES EM PIRAPETINGA-MG

Foto acima cedidas pela ASPIRA


Numa semana em que no calendário católico celebra a "Semana Santa", uma cena deplorável foi registrada e vem causando, nas redes sociais e no dia a dia dos moradores da cidade de Pirapetinga, Zona da Mata Mineira. 
Uma grande mortandade de peixes (Lambaris, Cascudos, Tilápias, Bagres, Piaus e outras especies...) no Rio Pirapetinga da cidade de Pirapetinga/MG e de São Pedro, distrito de Santo Antônio de Pádua/RJ.
O fato ocorreu na segunda feira, dia 10/04/2017 no trecho abaixo de Pirapetinga até o desague no Rio Paraíba do Sul.
O Rio Pirapetinga, que nasce na serra da Vileta em Leopoldina corta a cidade de Pirapetinga e é marco divisório entre os estados de Minas e Rio, é um importante fornecedor de água potável para região onde abastece as cidades de Leopoldina e Pirapetinga, além de fornecer a matéria prima necessária para a COPASA (Cia. de Saneamento de Minas Gerais), HAROLPEL (fábrica de papel) E SMURFIT KAPPA (fábrica de papel).
Foto de Facebook
De acordo com a Associação ASPIRA (Associação de Proteção Ambiental de Pirapetinga-MG), Nos últimos anos a ocorrência de fatos desrespeitosos com o meio ambiente têm sido frequentes, o que vem gerando uma insatisfação muito grande entre os moradores que conhecem a exata necessidade das águas do rio para a sobrevivência da cidade, tanto na saúde pública quanto na economia.
"Para o Presidente da ASPIRA, Dalmo Lamarca Neto, o trabalho com o meio ambiente tem que ser persistente e incansável. Segundo ele, os efeitos dos trabalhos realizados pela associação serão vistos a longo prazo e enquanto isso, é de extrema importância a participação popular num processo de cobrança das autoridades e dos maiores poluidores do meio ambiente regional".
  Diante da lastimável cena, estiveram presentes nas visitas ás margens do Rio Pirapetinga nesta quinta-feira, 13/04, o Secretário de Meio Ambiente de Pádua, o representante da Harolpel: Sr. Ronaldo, e os Membros da ASPIRA: José Luiz, Oladir, Joel Firmino, Zélia Correa, Neto Lamarca e Dalmo Lavinas Lamarca.

Foram recolhidos um vasto material para exames que poderão descobrir as causas da mortandade dos peixes, mas por hora não há uma explicação natural para o fato, ficando no ar apenas o mal cheiro dos peixes mortos e em decomposição, atraindo os urubus e exalando prováveis doenças pelo ar. Os moradores ribeirinhos sofrem com tamanha fedetina.

Texto adaptado por Adenilson Mendes
Fonte Original, ASPIRA click em @aspirareflorestapirapetinga

Nenhum comentário:

Postar um comentário