24 de janeiro de 2017

SECRETÁRIO DE FAZENDA CLEITON TAVARES AFIRMA QUE DIVIDA DA PREFEITURA DE SAPUCAIA CHEGA A 17 MILHÕES DE REAIS DEIXADA PELO GOVERNO ANTERIOR



O Secretário de Fazenda da Prefeitura Municipal de Sapucaia, na região Sul Fluminense do Estado do Rio de Janeiro, Cleiton Tavares de Olivera, confirmou á nossa reportagem na tarde desta terça-feira 24 de janeiro que,
 através de muito esforço e um planejamento rápido e técnico, conseguiu efetuar o pagamento do PASEP  dos funcionários da Prefeitura  Municipal, nos meses de setembro a novembro de 2016 (gestão anterior), além de erros técnicos referentes ao mês de maio de 2016 repassados á Receita Federal. 
  Com isso,  os repasses do FPM (Fundo de Participação dos Municípios), verba encaminhada pelo Governo Federal, ficasse totalmente bloqueado no mês de dezembro/2016. Ocasionando diversos problemas e até cortes de alguns serviços essênciaiso e o nome da cidade circulou várias vezes na mídia regional e estadual.
Uma vez quitada a dívida, os repasses voltaram a ser contabilizado nos cofres públicos municipais. O valor creditado de FPM foi de R$1.600.000 (Hum Milhão e Seiscentos Mil Reais), o dinheiro será usado no pagamento dos funcionários e serviços indispensáveis á população Sapucaense.
Quando questionado sobre a divida com o Hospital São Salvador de Além Paraíba, divida também herdada da administração Zanon, que ultrapassa a casa dos CEM MIL REAIS, Cleiton falou que já está analizando toda situação, uma vez que a Secretaria é descentralizada, fará contato com a secretária municipal de saúde, Srª Thais Moreira Bittar, e que muito em breve o impasse será solucionado. 
Atualmente Sapucaia possui um endividamento de cerca 17 milhões de Reais do governo anterior e que o HSS é uma das prioridades dentre o montante devido.
Reportagem Blog do Adenilson Mendes
Postado em 24/01/2017 ás 19h10
MAIS INFORMAÇÕES LIGUE: (32) 3462 - 4309

Um comentário:

  1. Cara de pau esse Zanon,o meu está aí entre esses 17, mas ele vai pagar, a vai.Cade a punição?Esse é o nosso Brasil!
    #revoltada

    ResponderExcluir