3 de outubro de 2015

ZEMA PARALISA CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO RECÉM INAUGURADO EM LEOPOLDINA-MG.


Imagem de internete / Reprodução
O Grupo Zema, sediado em Araxá-MG, decidiu desativar o Centro de Distribuição em Leopoldina-MG, que recebeu investimentos de R$ 25 milhões em sua construção. Além dos impactos negativos provocados pela crise econômica e pelo aumento dos custos, a aprovação do Projeto de Lei 2.817/15, que reajusta a alíquota do ICMS incidente sobre diversos produtos comercializados pelo grupo e sobre a energia elétrica, tornou inviável a manutenção da unidade em funcionamento.
O Secretário de Desenvolvimento Econômico do Município de Leopoldina, Walter Matos, tão logo soube da notícia, entrou em contato com a Diretoria do Grupo Zema e foi informado que a empresa terá seus serviços concentrados na unidade de Araxá, onde também está instalada a sede da empresa. Ao todo, serão eliminados 90 empregos diretos e mais de 30 indiretos. O CD de Leopoldina era responsável pelo abastecimento de 106 lojas localizadas em Minas, Rio de Janeiro e Espírito Santo.
O Secretário teve assegurado o remanejamento de pelo menos 30 colaboradores da empresa, para que de certa forma o impacto seja reduzido sobre o Município. Walter Matos após ser procurado pelo Jornal O VIGILANTE ONLINE, disse que aguarda com esperança que o cenário da crise econômica federal e estadual melhore, para que o Grupo volte a expandir seus negócios. O Secretário disse que vai continuar trabalhando incansavelmente até o último dia do governo para que Leopoldina continue a atrair novos investimentos, e por isso, tem mantido inúmeros contatos com empresários de todo o país. 
O Gerente de Logística do Centro de Distribuição da Zema em Leopoldina, Thiago Cadu dos Santos, esteve na manhã desta sexta-feira (02) com o Secretário de Desenvolvimento Econômico do Município para entregar o comunicado oficial do Grupo e agradecer todo o apoio e empenho da Prefeitura Municipal desde o início do projeto. Agradeceu em especial ao Prefeito Dr. José Roberto e ao Secretário, dizendo que o objetivo é o mais breve possível retomar o funcionamento. Lembrou também que o contrato entre o Grupo Zema e o Grupo São Francisco (investidor do Centro) é de 11 anos.
Segundo ele, a tendência é que, após a elevação do tributo, consumidores de muitos municípios onde a empresa atua migrem o consumo para cidades vizinhas. “Temos muitas lojas que estão perto da divisa com outros estados e o cliente terá mais facilidade para comprar em São Paulo, Espírito Santo e Bahia, por exemplo, onde existem cidades quase geminadas com Minas”, diz ele .
Com a queda de 8% nas vendas entre janeiro e setembro, o Grupo Zema também optou pelo fechamento de 12 lojas distribuídas por todo o Estado, que não estavam gerando rentabilidade e sem perspectiva de melhora. Somente no mês passado, a comercialização foi 17% menor.
Diante da atual situação econômica, o consumidor praticamente reduziu as compras em todos os ramos, principalmente de eletrodoméstico, vestuário e veículos. Até o momento, as vendas caíram 8% quando comparadas com igual período de 2014. O mais grave é quando comparamos setembro com igual mês do ano passado a queda chega a 17%. A situação está se deteriorando. Por isso, optamos pelo fechamento de algumas unidades. Em 2015, abrimos 29 lojas, mas não temos planos de inaugurações e, provavelmente, te remos mais lojas fechadas”, diz o empresário.
De acordo com Zema, a expectativa é encerrar este exercício com resultados equivalentes aos de 2013. “Nós estamos trabalhando e vamos ficar felizes se alcançarmos os resultados de 2013. Vale lembrar que estamos recuando dois anos em resultado se o que vendemos não equivale ao aumento dos custos que tivemos nesse período. A cada dia fica mais difícil fechar a conta. Esperamos que o governo do Estado faça ajustes, como todos os empresários e a população estão fazendo. Assim como no governo federal, na esfera estadual o que vemos é apenas o inchaço no quadro de funcionários”, reclamou.
FONTE: O VIGILANTE ONLINE com Informações complementares do Jornal Diário do Comércio.


Nenhum comentário:

Postar um comentário